Porque é que, quase nunca, cumprimos com as resoluções de Ano Novo?

Geralmente, damo-nos bem com rotinas e rituais, dão-nos uma certa sensação de previsibilidade, que nos dá segurança. Gostamos também de reinícios, porque os reinícios nos permitem libertar a nossa mochila de coisas que nos foram desgastando, magoando, ou até, de coisas que fomos fazendo e que nem sempre nos orgulhamos. Assim, os reinícios permitem-nos deixar para trás os erros e sonhar, por exemplo, com a dieta, com as poupanças, a mudança de trabalho, ou, simplesmente com brincar mais com os filhos, ou, dedicar mais tempo a nós próprios.

Vamos tendo vários reinícios ao longo do ano, mas é o Ano Novo que mais marcadamente nos coloca - a quase todos - no mesmo comprimento de onda de reinício e, assim, com o impulso do Ano Novo, vamos ‘juntos’ com toda a fé, fazer um sem fim de novas conquistas.

Mas, a par de tudo isto, chega apressadamente Janeiro, um mês um bocadinho mais escuro e frio que, muitas vezes, nos confronta com a falta de força para reiniciar, transformar e conquistar tal como queríamos. Assim, as resoluções de Ano Novo costumam durar as primeiras semanas e, depois, perdem-se por entre os dias e a rotina habitual, o que faz com que, por vezes, à medida que envelhecemos deixamos de acreditar nessas resoluções e, deixamos de sonhar. Isto acontece porque já sonhámos muitas vezes é já deixamos os sonhos muitas vezes para trás, regra geral, logo nas primeiras semanas do ano.


Apesar de já termos vacilado muitas vezes, continuar a sonhar é essencial para crescermos e porque o Ano Novo tem um papel quase mágico que nos dá alavanca para os nossos sonhos, vamos aproveitar essa alavanca para, este ano, fazer o reinício ser para valer e as resoluções de ano novo se concretizarem. Vamos sonhar alto com a cabeça na lua, mas sem largar os pés da terra.


Por isso, se este ano sente que precisa de se transformar e que este reinício é para valer, lembre-se:

- Seja objetivo e concreto nas mudanças que quer efectivar – muitas vezes torna-se difícil cumprir as resoluções de Ano Novo, porque são muito abstratas, e fazem com que nos percamos no que queremos atingir. Por exemplo, quando dizemos que queremos ser felizes, é importante, sermos concretos, o que é que nos fará felizes? Mudar de emprego? Passar mais tempo em família?


- Estabeleça pequenas metas que lhe permitam atingir o seu objetivo final – se o objetivo só poder ser alcançado daqui a um ano, será muito difícil mantermo-nos motivados até lá chegarmos, por isso, devemos estabelecer pequenas metas que vão enviando sinais de recompensa ao nosso cérebro e lhe vão permitir perceber que está a conseguir e fazer do que se mantenha motivado em todo o processo. Por exemplo, perder 20kg é um objetivo difícil de alcançar, é essencial delinear pequenas metas até chegar ao objetivo último dos 20kg, por exemplo, ao fim de um mês perder 2kg.


Se conseguirmos, pelo menos cumprir estas duas fases durante este reinício estaremos certamente mais perto de concretizar as nossas resoluções de Ano Novo. Mas, não nos podemos esquecer que as resoluções de Ano novo, só fazem sentido se nos tornarem mais autênticos e mais tranquilos connosco próprios. E, este ano – que para tantos de nós foi altamente desgastante – o poder do reinício é ainda mais importante, por isso, vamos aproveitar a magia do Ano Novo para concretizar e levar para a frente todos os objetivos que temos deixado na gaveta.

#escoladosentir

#anonovo

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo