3 hábitos que fazem com que as crianças se sintam inseguras!

Quantas vezes, olhamos para as crianças e pensamos, mas afinal porque é que se sente inseguro? Porque é que parece ficar sempre tão a medo em tudo? Parecemos não conseguir compreender como é que aquela criança que - na nossa perspetiva - parece ter tudo e uma vida protegida e simples, pode sentir-se inseguro.


Ora, é essencial percebermos que a insegurança interna está muito para lá de tudo aquilo que é visível e palpável e que uma criança tende a ficar insegura à medida que no seu dia a dia não é capacitada e não encontra espaço para a expressão de todo seu mundo interno. Neste sentido, há três hábitos comuns que, por norma, fazem com que muitas crianças se sintam inseguras:


  • Falta de autonomia - ao ser autónoma, responsável por si própria e pelo seu bem-estar, uma criança desenvolve a sua segurança interna e consolida a sua capacidade de reagir em tempo real perante os imprevistos e os desafios do dia a dia. Por isso, se queremos crianças seguras de si, é essencial promover a sua autonomia desde a infância em pequenas tarefas diárias como alimentar-se, cuidar dos seus brinquedos ou da sua mochila da escola, por exemplo.


  • Regras e rotinas pouco definidas - se, por um lado, as crianças têm por hábito procurar fugir às regras, por outro lado, são as regras que lhe dão a estrutura, estabilidade e robustez que precisam para se desenvolverem e consolidarem a sua segurança interna. Assim, é essencial que as crianças tenham regras definidas e claras quanto àquilo que são as exigências dos pais e as suas responsabilidades. Da mesma forma, a existências de rotinas que unam os dias entre si e as tarefas diárias básicas, permite às crianças a sensação de previsibilidade que, naturalmente, as faz crescer mais tranquilas e seguras de si.


  • Incapacidade de lidar com as emoções - muitas vezes, as crianças acabam por crescer sem aprender a lidar com tudo aquilo que sentem e, à medida que o fazem, acabam por deixar de lado as suas emoções e não se tornam capazes de as identificar, expressar e gerir. Quando isto acontece, e porque uma criança está permanentemente inundada de emoções, torna-se muito difícil sentir-se segura de si. Desta forma, é essencial que as crianças sintam espaço para se expressar emocionalmente e que, de forma proativa, os adultos à sua volta as ajudem a desenvolver a sua capacidade de lidar com todas as suas emoções.


Desta forma, é muito importante que tenhamos presente que uma criança para se sentir segura de si e capaz de enfrentar os desafios do seus dia a dia, precisa que, ao longo do seu crescimento, os adultos à sua volta se alinhem com uma estrutura definida que promova a autonomia, as regras e a inteligência emocional. Só assim, uma criança tem um ambiente favorável a um crescimento saudável e ao desenvolvimento da sua segurança interna.



#escoladosentir

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo